sábado, 23 de julho de 2011




Os humanos são os únicos seres conscientes do universo?
Certamente não!
Em primeiro lugar, os Sábios dizem que os animais também sentem dor, baseados na proibição bíblica de causar-lhes sofrimento desnecessário.
Em segundo, a Torá está repleta de narrativas dos anjos superiores, que estão conscientes de um âmbito da realidade muito além da nossa.

Além disso, Maimônides e outros escrevem sobre os corpos celestiais como seres conscientes – e não simplesmente num sentido alegórico. Se alguém perguntasse: "Como uma bola de hélio e hidrogênio pode conter consciência?" simplesmente pergunte de volta: "E uma massa quente de carne cinzenta ter consciência é razoável?"

A singularidade da raça humana não está na consciência, mas na maneira que a consciência tem de entrar nos âmbitos do bem e do mal, tomar decisões e distinguir entre eles.


A estrela de Meroz

Entre esses dois extremos, encontramos a opinião do livro ‘Habrit” que diz que a vida extraterrestre sim existe mas que eles não possuem livre-arbítrio. Este é possessão exclusiva do homem, para quem o Universo foi criado. Os 18000 mundos mencionados anteriormente , na opinião dele, são mundos físicos habitados.
A prova que ele traz para a sua tese é mais ingênua. No canto de Devorá (Débora), nós encontramos o seguinte verso: ‘Amaldiçoado é Meroz ... amaldiçoados são seus habitantes” (Juízes, 5:23). No Talmud encontramos a opinião que Meroz é o nome de uma estrela. De acordo com essa opinião, o fato das escrituras declararem “Amaldiçoado é Meroz ... amaldiçoados são seus habitantes” é uma prova clara pelas palavras dos sábios sobre vida fora do planeta.
Seguramente, mesmo essa prova é sujeita à refutação.
O Zohar também segue a opinião de que Meroz é uma estrela e ainda declara ‘seus habitantes’ refere-se a seu campo, que significa, provavelmente, os planetas a sua volta. Contudo, o significado mais simples deste verso parece apoiar a opinião do sefer Habrit.
O sefer Habrit continua e diz que não devemos esperar a criatura de um outro planeta se pareça com um habitante do planeta Terra, assim como criaturas do mar não se parecem com as da terra.
Ele ainda declara que embora formas de vida extraterrestres possam possuir inteligência, eles certamente não podem ter livre arbítrio. Este é um atributo único do homem, para quem foi dada a Torá e seus mandamentos. Ele prova esta tese com base no ensinamento talmúdico já mencionado, de que todas as estrelas no Universo observável foram criadas em prol do homem.


Fontes na Torá

O Rebe apontou que há apoio na Torá para a noção de que existe vida em outros planetas. Além disso, podemos saber algo sobre a vida através da dedução do que a Torá nos diz.

No Livro dos Juízes 5:23, Devorah profetisa canta sobre a vitória de Barak sobre Sísera . Em sua canção, ela diz: "Maldito seja Meroz! Maldito, maldito seja seus habitantes, diz o anjo de D'us!"

Onde está Meroz, e quem são seus habitantes? O Talmud dá duas explicações, uma delas sendo que Meroz é uma estrela ou planeta. Os corpos celestes tinham vindo também para ajudar os israelitas , como Devorah declarou apenas um versículo antes: "Dos céus eles lutaram, as estrelas das suas órbitas ..." Esta estrela, no entanto, que era a estrela dominante de Sísera, aparentemente, não veio em seu auxílio. E assim, o General Barak penalizado Meroz - e seus habitantes.

São estes habitantes inteligente? A inteligência é definida pela Torá para significar a capacidade de tomar decisões com livre arbítrio. O livre arbítrio só é possível onde há Torah, segundo a qual o Criador oferece a Suas criaturas mais de uma possibilidade e pede que eles façam a escolha apropriada.

Então, se não haveria vida inteligente em outros lugares do universo, aquelas criaturas teriam de ter Torah. Poderiam ter uma Torá diferente do que nós? Isso não é possível, uma vez que a Torá é verdade, e não pode haver duas verdades.

Poderiam eles então ter a mesma Torá que nós? Isso também parece impossível, pois a própria Torá descreve em detalhes como a Torá foi revelada neste planeta, e que conta própria tem um forte impacto sobre como a Torá é para ser cumprida.

Portanto, parece que, embora seja bastante possível que exista vida em outros planetas, que a vida não seria inteligente de uma forma semelhante à vida humana e da cultura humana.

Mas devemos estar à procura?

Dr. Velvl Greene é um biólogo que foi alistado pela NASA em seu projeto para determinar se houve vida em Marte. Ele perguntou o Lubavitcher Rebe se isso era algo que ele deveria estar fazendo.

O Rebe respondeu: "Dr. Greene, procure vida em Marte! E se você não encontrá-lo lá, procure em algum outro lugar do universo. Porque para você sentar aqui e dizer que não há vida fora do planeta Terra é colocar limitações sobre o Criador, e isso não é algo que qualquer de Suas criaturas possa fazer! "


sineta encontrada em Jerusalem

 
.... - .. ., .