quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Dreidel

Os segredos do
Dreidel

(Sevivon) O Segredo Real: Por que o dreidel reaperece e o quê podemos aprender dele hoje em dia. No Judaísmo, até algo tão simples quanto "gire-o-pião" realmente não é o que parece ser. Durante o tempo dos Macabeus, judeus foram presos pelo "crime" de estudar Torá. Enquanto estavam na prisão, estes judeus se reuniam para jogar dreidel. Com a desculpa de estarem perdendo seu tempo à toa, eles tomavam parte em discussões de Torá e, deste modo, desafiavam os inimigos do Judaísmo. Cada dreidel tem quatro lados com uma letra em hebraico em cada lado. Cada uma destas letras inicia uma palavra. As quatro letras são: · Nun: a primeira letra da palavra nês, que significa "milagre" · Gimel: a primeira letra da palavra gadol, que significa "grande" · Hei: a primeira letra de haiá, que significa "aconteceu" e · Shin: a primeira letra de sham, que significa "lá" Quando juntamos estas palavras, formamos a frase: "Um grande milagre aconteceu lá." Até hoje, o "jogo do dreidel" nos relembra o eterno desafio de qualquer pessoa que tenta ficar entre um judeu e a sua Torá. Girando pela história Alguém disse uma vez: A vida é como um topo. Você gira muito ao seu redor, e depois, cai. Para algumas pessoas, a vida é um jogo, uma piada, um abismo arbitrário. Porém, não para o povo judeu. Temos sido "girados" pela história por 3,000 anos. Para alguns, a história pode parecer uma série arbitrária de eventos cujas tragédias freqüentes parecem comprovar a futilidade da vida. Mas a mensagem do dreidel é justamente o oposto disso. Nos ensinos místicos de Kabbalá, há uma outra dimensão para o dreidel. As quatro letras representam quatro diferentes impérios históricos: dos Babilônios, dos Persas, dos Gregos e dos Romanos, que tentaram destruir o povo judeu. (Hoje, somos vítimas dos Romanos que destruíram o Segundo Templo e nos enviaram para o atual exílio.) Será que estamos girando acidentalmente de uma tragédia para outra, ou há alguma rima ou razão para tudo o que aconteceu em nossa história? É nos tempos de tragédia que o dreidel traz a sua mensagem: Se acreditarmos que existe um fundamento para o povo judeu, se soubermos que, apesar da conturbada falta de clareza dos eventos da nossa história, exista um motivo para tudo isso, e se estivermos preparados para lutarmos em permanecer judeus não importando no que a história nos coloque, então quem sabe, poderíamos ver um milagre e ficarmos seguros novamente de que existe uma mão escondida guiando o destino do povo judeu.







Milagre Moderno




Há mais ou menos 50 anos atrás, na primeira vez em que os Macabeus derrotaram os gregos, o povo judeu estava à beira de reivindicar soberania em sua pátria. Ao redor do mundo, muitos eram céticos quanto ao nascimento deste novo estado. Outros estavam convencidos de que se o estado nascesse, logo acabaria derrotado pelas forças dos exércitos árabes. Por razões políticas, os judeus da Palestina construíram uma imagem de força. Sua propaganda era tão persuasiva, que chegava a enganar os próprios árabes. Mas a realidade era pateticamente diferente: O inexperiente exército judaico tinha armas para menos de um quarto de seus homens. Seu arsenal total consistia em mais ou menos mil rifles, menos de mil metralhadoras, e munição suficiente para somente três dias de batalha. Os judeus não tinham nenhum armamento pesado de qualquer tipo: nenhuma metralhadora pesada, artilharia, armas de fogo anti-tanque ou anti-aeronave, e nenhum carro blindado. E não tinha nenhuma Força aérea ou Marinha. Nada. Então, no dia 5 de dezembro de 1947, as coisas começaram a piorar. O governo dos Estados Unidos anunciaram um embargo total nas vendas de armas para o Oriente Médio. Mas, nesse meio tempo, os árabes já tinham comprado dezenas de milhões de dólares em armas dos Estados Unidos. E os judeus só tinham seu insignificante suprimento. Mas você sabe o final da história. "Em Israel, para ser um realista, deve-se acreditar em milagres." - David Ben Gurion, Primeiro Primeiro Ministro de Israel COMO JOGAR O JOGO DO DREIDEL Em Chanuká, todo mundo ama girar o dreidel. Há competições para saber quem consegue girá-lo por mais tempo. Ou quem consegue girar simultaneamente os dreidels. E, é claro, existe o famoso jogo do dreidel, que jogamos em Chanuká, o "gelt:" As regras para jogar são: Ao iniciar, cada jogador recebe a mesma quantia de moedas. A cada partida, depositam a mesma quantia na mesa. Cada jogador deverá, alternadamente, girar o "dreidel". Dependendo da letra que cair, o jogador procederá da seguinte maneira: "Nun" - não perde nem ganha nada; "Gimel" - ganha todas as moedas da mesa; "Heh" - ganha a metade das moedas da mesa; "Shin" - deposita na mesa o mesmo valor colocado anteriormente.

 
.... - .. ., .