domingo, 26 de fevereiro de 2012

Querubim







O primeiro lugar que os querubins aparecem na Torá é após Adão e Eva serem expulsos (em hebraico, a palavra "expulsão", Gerush, é o mesmo que a palavra para o divórcio) do Jardim do Éden. Os querubins tomaram um papel temível na entrada do Jardim, junto com a espada, de fogo girando. Seu papel era o de garantir que Adão não iria re-entrar no jardim,e comer da árvore da vida e eternizar o pecado primordial.

Neste contexto, os querubins são um tipo de anjo. Maimônides classifica dez tipos de anjos. De acordo com a Cabalá, os dez tipos de anjos correspondem a dez sefirot. O nível mais baixo dos anjos, Ishim, ("homens") são aqueles que conversam com os profetas ou pessoas imbuídas do espírito santo(Ruach kadosh). Ishim corresponde à sefirá de Malchut. O próximo nível de anjos, querubins, corresponde à sefirá de Yesod. Eles representam o poder espiritual de união entre homem e mulher, e simbolizam a união entre D'us e Israel.




Nossos Sábios explicam que a palavra hebraica para querubim, kruv( כרוב ), é do aramaico e significa "como um bebê." Os querubins tinham rostos de bebês. A cara de bebê representa inocência. O toque amoroso dos querubins no Santo dos Santos reflete o epítome do amor puro e inocente. Esta inocência existe no Santo dos Santos, em um reino que antecede o pecado primordial. Após o pecado primordial, os querubins também assumiu o papel de anjos terríveis.



O comentarista da Tanach, Abraham Ibn Ezra, define a palavra como kruv matéria informe que pode assumir qualquer forma. Esta é a propriedade exata dos querubins, que pode assumir a forma de anjos terríveis e também dos amantes consumados. Inocência, presta-se a este estado amorfo, o qual pode assumir formas opostas. Amorfa também se reflete no rosto de um bebê, que assume uma forma mais determinada depois que o bebê amadurece e manifesta o seu poder de livre escolha. Assim, essa capacidade de despir uma forma e usar o outro é a essência interior de inocência.

 
.... - .. ., .