quarta-feira, 23 de março de 2011


Muitos caminhos espirituais louvam a virtude do outro mundo, e até do “próximo mundo”. O Islã e o Cristianismo olham para a “vida futura” como o foco da vida, para escapar deste plano comum.
O Judaísmo espiritual, por outro lado, se concentra neste mundo como a arena mais importante para a atividade da alma. Percebe o potencial muito mais elevado para a alma no mundo do tempo e espaço, em oposição ao âmbito no qual entramos depois da morte.

Isso parece ilógico. O tempo e o espaço são limitações. A alma é uma prisioneira virtual do corpo. A vida física acarreta sofrimento, medo e destruição. Quais seriam as virtudes redentoras do plano terreno?

Os ensinamentos chassídicos explicam que há dois tipos de consciência e percepção. A primeira é a percepção tangível e visceral da realidade. Reconhecemos um rosto. Sentimos o frio. Entendemos um conceito. Todos estes são aspectos do nosso mundo “aqui em baixo”. Esta percepção tangível é chamada Memalê – a maneira pela qual o cosmo está “repleto” de energia criativa.

Porém todos nós experimentamos uma consciência mais sublime – uma percepção de uma aura, uma presença atmosférica, um senso do sagrado, a expressão da fé. Estas faces intangíveis da realidade são chamadas Sovev – a maneira pela qual o cosmos está “rodeado” pelo sopro cósmico, uma Divina presença que envolve a realidade, em vez de permeá-la.


Nos mundos acima a percepção de Sovev é emudecida, ironicamente nestes âmbitos “mais elevados”. Tudo nos reinos mais elevados está fixo em posição, imutável. A força angélica de Michael sempre permanece sendo de amor líquido. A força angélica de Gabriel sempre permanece num estado de força ardente. Não há crescimento ou movimento entre os seres celestiais. Nada altera sua natureza – a lei Divina prevalece por meio da Memalê.

Em nosso mundo “inferior” há constantes mudanças. Sob desafio, podemos ceder aos nossos instintos mais baixos. Ou podemos superar a tentação e crescer em estatura e caráter. A alma tem a oportunidade de nos guiar através de consciência mais elevada. Isso porque a consciência mais transcendente de Sovev está disponível a este mundo – facilitando o movimento e a mudança.

É por isso que os cabalistas enfatizam as “boas ações” – mitsvot. Somente a atividade física finita de ser um co-criador prático do universo inacabado toca o nível sublime de Sovev. Somente a atividade tangível da mudança dá à alma a oportunidade de cumprir sua missão. É a ênfase no autodomínio e perfeição pessoal neste plano que distingue o caminho espiritual daqueles que simplesmente se concentram em esperança e aspirações no mundo vindouro.

O propósito da vida não é a santidade, ou vida em outro mundo, É ser uma pessoa melhor – reconhecer seu papel e responsabilidade como pai, filho, amigo, cônjuge e cidadão.



B"H

 
.... - .. ., .