quarta-feira, 21 de abril de 2010

22 Forças de Eloim.



Três matrizes, sete duplicações, doze simples.
São esculpidas pela voz.
Só retrocedem até a unidade que cria diante da qual não há segundo, não há dois.
O círculo que as contém pode ser virado e aí se torna seu contrário pela intromissão do In.
Por isso Ele as fez pesadas. E os filhos recriaram o dom. O mundo, o ano, o sono. Depois disso começaram as correspondências, braços do universo e as doze arestas do cubo tornaram-se analogia dividida. Mérito e demérito. Quietude e oscilação e :
Paz e desgraça.
Sabedoria e ignorância.
Cultura e deserto.
Cólera contra o fígado
Riso contra o baço.
Pensamento contra o coração.

En-Sofh
Por esta pronúncia pode ser alcançado e será teu fim e será teu início.
Porque o incompleto só começa quando termina.
Por este meio nasceu. E tu que és ternário:
O duodenário é composto de partes opostas, três amigos, três inimigos, três vivificam, três matam, três florescem, três corrompem. A face do justo se aproxima a do ímpio se afasta. Até que venha o inefável e faça "a colheita" de doze em doze eternidades.

 
.... - .. ., .