terça-feira, 4 de novembro de 2008

Signo astrológico





Signo astrológico Leão



Kabalah – Arvore da Vida: Tiphereth



O sol é representativo do núcleo vital do homem, da energia vital do ser humano, da sua alma e coração.

O ideograma do sol é representado por um círculo com um ponto no centro do mesmo, uma significação da emanação de pura energia.

O Sol pertence ao signo Leão, é regente privilegiado desta casa zodiacal e afecta todo este quadrante astrológico.O sol sempre foi considerado um principio masculino, ao passo que a Lua um princípio feminino. Na Pérsia, o Sol assumia símbolo de luz e pureza, ao passo que no Hinduísmo o sol é sempre representado no centro do céu, ou seja, como o centro da existência. Os babilónicos, fenícios e egípcios também consideravam o sol como um símbolo da mais poderosa força e energia espiritual. Entre os Incas, o rei assumia o titulo de filho do sol, como que expressando a origem divina da sua fonte de poder. Nas religião egípcia, o sol era representado pela santa trindade Horus – Rá –Atum, e quando as religiões helénicas se cruzaram com os deuses orientais, Baal fundiu-se com Júpiter, ambos representações desta força solar. Se num horóscopo o sol se encontra apagado ou enfraquecido, isso significa uma ameaça: uma patologia, um mal, enfermidades, roturas, infortúnios, depressão, falta de forças, fraqueza; tudo isso pode estar eminente devido a causas que afectaram esse quadrante energético da existência humana que o sol representa e que á a alma, a vida.



Lua



Signo astrológico Caranguejo



Kabalah – Arvore da Vida: Yesod



A lua atribui-se ao signo de Caranguejo, sobre o qual possui forte regência.

Desde sempre que a lua exprime a natureza feminina, ao passo que sol representa a essência do masculino: o sol possui luz própria, o que faz dele um principio activo, ao passo que a luz da Lua advêm da luz do sol, ( é seu reflexo), o que faz da Lua um arquétipo feminino. Ao longo das religiões da antiguidade, a Lua tem sido identificada com o principio da grande mãe ou do divino feminino. O ancestral Livro dos Mortos, indica que a Lua e o Sol são forças iguais, contudo com polaridades opostas. Os símbolos religiosos das deusas lunares nas religiões da antiguidade, ( assírias, babilónicas, etc), eram uma arvore, ou um pilar, ou uma rocha. Aserá e Astarte, eram dessa forma representadas em santuários, que na Bíblia indica serem construídos em «lugares altos», junto do céu, onde mais facilmente se podia sentir a influencia da energia lunar. Isis era uma deusa lunar, mãe dos universos, reguladora dos partos e da gravidez. Os hebraicos viram a força e energia lunar na forma de Lilith, a lua negra, o temível demónio feminino, divindade nocturna que seduzia os homens durante o sono e cavalgando neles, (por “incubação”), os possuía sexualmente para lhe sugar as energias vitais. Os Romanos viram a lua na forma de Hecate, terrível Deusa infernal á qual a bruxaria era dedicada e em honra de quem nas encruzilhadas se erguiam estatuas de uma mulher com 3 corpos e onde se praticavam cerimonias magicas sob a observação silenciosa da padroeira das bruxas. Na grécia, a lua assume a forma religiosa de Selene, linda e irresistível deusa do Olimpo com os seus míticos amores. No Oriente babilónico, a lua foi também tida como Ishtar. As Deusas Lunares são sempre símbolos de magia, do temível poder das trevas, da força celestial feminina que tanto é capaz de ser irresistível fonte de prazer, como sublime fonte de gestação e de vida, como de temível fonte de angustias, destruições, presságios, perturbações. À lua estão associados o mais profundo mistério, os reinos da libido, da noite, dos espíritos, dos fantasmas e das aparições.

No horóscopo de um homem, a Lua tende a representar figuras femininas: mãe, mulher, amada, etc. Em qualquer horóscopo, a Lua tem uma importância fundamental para o entendimento da personalidade. As perturbações espirituais, psicológicas e interiores de uma pessoa conseguem-se avaliar precisamente pela Lua. A influencia da lua também é determinante no padrão de certos eventos, tais como: movimentações, alterações no destino, instabilidades, mudanças, deslocações, etc.





Marte



Signo astrológico Carneiro



Kabalah – Arvore da Vida: Gevurah



Marte rege sobre o signo Carneiro. A Marte sempre estiveram associadas as forças viris do guerreiro e do conquistador. Marte exprime por isso o desejo de posse, o querer, o instinto de apropriação. Em sânscrito, Marte encontra a sua etimologia em «Mar», uma das formas do deus védico «Marut», senhor das tempestades, dos furacões e do fogo. Entre os Romanos, os espíritos dos guerreiros eram colocados sob protecção de Marte. Marte é também um símbolo de vitalidade e impulsividade, de energia a todos os níveis. O impulso conquistador que Marte representa, acarreta inevitavelmente as forças da luta, da digladiação e do conflito, que neste astros se encontram representadas.



A libido e as mais profundas pulsões estão também representadas em Marte, que pode simbolizar uma energia afectiva ou sexual de tal forma intensa, que acaba não só possuindo como também agredindo o objecto do amor. Na expressão tântrica, Marte equivale a Kundalini, a força serpente que deve ser despertada para lançar o sémen; se o sémen não for liberto, gera-se a energia Kundalini que pode ser distribuída por todo o corpo através dos plexos chamados «chakras». Contudo, traduzindo esta noção para a fisiologia sexual, Kundalini e Marte representam o pénis em erecção e a sua penetração na vagina, um claro simbolismo da virilidade.



Num horóscopo, Marte pode não só ser lido como a expressão da força interior de uma pessoa, ( na sua combatividade, ambição, desejo de posse, desejo de afirmação, etc), como também significativo de situações de conflitualidade ou competição, ao passo que também pode ser lido enquanto a representação do grau das forças ou obstinação de um inimigo, ou do grau de adversidades e bloqueios que se enfrentam.



Vénus



Signo astrológico Touro



Kabalah – Arvore da Vida: Netzah



Vénus é o planeta regente do signo Touro. Se o Sol é representativo do principio masculino, e se a Lua é significância do principio feminino, ao passo que Marte é símbolo da virilidade fálica, Vénus é por excelência o arquétipo da expressão sensual feminina. O ideograma de Vénus traduz-se num círculo com uma cruz pendurada que pende para baixo. O símbolo faz lembrar a inversão quase luciferiana da cruz crista, numa representação que muitos astrólogos entendem ser uma forma de sublinhar o carácter das energias orgiásticas, carnais, sensuais e pecaminosas que Vénus representa. Muitos astrólogos encontram em Vénus a representação dos prazeres dionisíacos, um verdadeiro símbolo de Baco e as suas sensuais Bacantes. Astarte era uma das deuses veneradas na antiguidade Babilónica e fenícia , ( bem como a deusa Hator no antigo Egipto), que se encontra profundamente relacionada com Vénus: ela é a Deusa do amor, que encontra correspondência religiosa na Vénus greco-romana. O nome Ashtarte encontra a sua etimologia em Ashtoros, que significa «chifres». E na verdade, as divindades da fertilidade e do amor eram imensas vezes representadas com forma humana feminina possuidora de chifres de vaca, ou mesmo na forma de uma vaca. Vénus e Astarte são deusas de amor e desejosas de amor, por isso celebradas por rituais carnais e lascivos. Vénus traduz a essência da volúpia amorosa sem limites, a expressão da sexualidade e do desejo, as leias da atracção. Na alquimia, Vénus representa o principio da afinidade, que expressa a tendência que os corpos tem de se fundir ou combinar com outros corpos. Enquanto que a lua representa o principio do feminino, Vénus representa o arquétipo do amor, dos sentimentos, da afectividade.



Mercúrio



Signo astrológico Gémeos



Kabalah – Arvore da Vida: Hod



Mercúrio é o planeta dominante do signo Gémeos. Se na alquimia Vénus se traduz do principio da afinidade que equaciona a capacidade dos corpos se uniram e combinarem, já mercúrio traduz a própria essência da transmutação, ou seja: a forma como dois elementos opostos,( sem afinidade), se podem unir, dando origem a um novo elemento.

As representações dos Deus Hermes, eram usadas para afugentar maus espíritos que viessem que quaisquer uma das 4 direcções, e se assim é, deve-se á característica de Mercúrio: a velocidade. Pela sua velocidade, Hermes era capaz de proteger com eficácia, e Mercúrio pode astrologicamente ser significante dessa protecção, ou da falta dela. Hermes era um deus que a todos ajudava mas sem regra, pois era conhecedor do intimo do ser humano. Hermes era também um brincalhão, senhor dos ladroes, hábil, bisbilhoteiro, rápido. Hermes era por isso veloz e astuto, e nas significâncias astrológicas, o mercúrio representa precisamente as faculdades intelectuais e cognoscitivas. Num mapa astral, o posicionamento e características de Mercúrio permitem avaliar sobre o tipo e grau de inteligência de uma pessoa, assim como a forma como as capacidades cognoscitivas de alguém podem ser estimuladas e aguçadas, bem como se essas mesmas capacidades estão sendo limitadas ou bloqueadas.



Júpiter



Signo astrológico Sagitário



Kabalah – Arvore da Vida: Hesed



Júpiter é regente do signo Sagitário. O nome de Júpiter, ( romano), provem de Zeus ,( grego), o deus dos deuses, patriarca divino. Etimologicamente Zeus advem do grego «dzeus» que significa «viver». Os romanos chamaram Júpiter a Zeus, considerando-o «Pai da Luz». Júpiter representa por isso a própria essência e noção de Deus. Júpiter não é um Deus cruel nem agressivo, e as suas manifestações de força, ( raios, trovões, etc), são enquadradas nalgum tipo de contexto que permitem ve-las como expressões de cólera justificada. Júpiter nos estudos astrológicos representa o desenvolvimento do ser humano com fundamento naquilo que ele recebe do exterior, do meio envolvente, das circunstancias, etc. Uma personalidade fortemente marcada por Júpiter, é afável, e perante um problema procurará sempre a solução mais eficaz, contudo também a solução sensata e justa. Pode também ter traços de uma personalidade hedonística, sociabilidade, adaptabilidade. No entanto, Júpiter será também e sempre um símbolo de satisfação dos impulsos instintivos, de um desejo pela beleza, de uma vivência em função dos prazeres, da busca do prazer dos sentidos.

Astrologicamente é Júpiter que ocupa o lugar mais alto da hierarquia celeste, seguido imediatamente pelo Sol. Júpiter é por isso pura expressão da vida, da energia criadora, do absoluto, do bem. Júpiter é por isso expressão das formas criadoras que tudo geraram e que estão presentes á nossa volta. Usar e fluir com essas forças é evoluir e florescer positivamente, ver tais forças bloqueadas ou afastar-se delas é estagnar e regredir.



Saturno



Signo astrológico Capricórnio



Kabalah – Arvore da Vida: Binah



Saturno é o planeta que exerce domínio sobre o signo de Capricórnio. O ideograma de Saturno faz lembrar uma foice, e certos astrólogos apoiam ser precisamente essa a assinatura deste signo: a foice.

A foice de Saturno simboliza a foice que corta a vida. Se Júpiter é Deus e vida, ao contrario, já desde os tempos babilónicos que se crê que Saturno traz a morte. Saturno é símbolo das energias que levam á perda, á morte, á separação, ao fim. Saturno pode parecer expressar a própria noção de frieza, e contudo, essa frieza é apenas superficial e uma forma de conter a profundidade de sentimentos. A frieza de Saturno é símbolo da profundidade, e Saturno é por isso símbolo do abismo mais profundo. Saturno pode representar a tirania , a avareza, a gula. Desde sempre que os astrólogos da antiguidade viam em Saturno uma força portadora de lutos, destruições, fatalidades, enfermidades, malefícios, morte. O valor de Saturno sobre um estudo astrológico, esta por isso sempre associado a uma rota de passagem de eventos negativos, ou então do bloqueio e estagnação.



Neptuno



Signo astrológico Peixes



Kabalah – Arvore da Vida: Kether



Neptuno governa sobre o signo de Peixes. O ideograma de Neptuno apresenta um tridente como símbolo de tudo aquilo que esta por baixo da superfície, tudo aquilo que é invisível , ou desconhecido, ou inconsciente. Neptuno é senhor dos abismo, por isso representação de tudo aquilo que é profundamente psicológico, ou então de tudo aquilo que esta oculto e que apesar de ser invisível nos afecta de forma consequente e tangível. Em astrologia, Neptuno é sempre uma simbologia representativa de algo inquietante. Neptuno esta também associado a tudo o que são intuições, pressentimentos, inspirações, mediunidade, fenómenos paranormais, visões e estados de ansiedade.



Urano



Signo astrológico Aquário



Kabalah – Arvore da Vida: Hokmah



Urano é o planeta regente sobre o signo de Aquário. O planto Urano simboliza uma força primordial imparável: a força da mutilação, do corte, da mudança súbita e repentina. Trata-se da própria força diluviana que tudo faz morrer, para tudo fazer renascer. O planeta Urano é por isso símbolo do rompimento e mais que isso: a energia que faz um ciclo acabar para logo fazer um novo ciclo nascer. Para os Babilónicos Urano era o fogo primordial, o fogo que tudo consome mas que tudo alimenta. Urano representa a força repentina, que destrói mas liberta. A preguiça, o que é inútil, a lentidão, a indecisão, são destruídos por Urano que é energia vibrante que assalta inesperadamente e tudo dinamiza. Quando alguém se encontra sob forte influência de Urano, tudo pode acontecer. As pessoas que encontram no seu horóscopo uma forte influência de Urano são extremamente activas, dinâmicas, mesmo «eléctricas», o que em casos excessivos pode resvalar para um perfil comportamental claramente “nervoso” e mesmo hiperactivo. Urano representa por isso todo o funcionamento psíquico - neurológico do ser humano. Um posicionamento equilibrado num quadro astral de uma pessoa, favorece-a com férrea força de vontade. Uma influência astrológica débil de Urano, pode causar excessivos estados de ansiedade, irritabilidade, desordem emocionais, ansiedades, angustias, fuga e mesmo agressividade. A influência de Urano é fundamental como uma energia que é motor da própria evolução: Urano desencadeia revoluções, acaba com bloqueios e imprime novos rumos, vence conformismos e dilui estagnações, conquista novos terrenos, desbrava a injustiça ao eliminar a sua fonte instalada gerando novos equilíbrios e novas fontes, tudo limpa para tudo semear, trilha novos caminhos que levam ao futuro prometido.



Plutão



Signo astrológico Escorpião



Kabalah – Arvore da Vida: Daath



Sobre escorpião governa o Plutão, sendo que alguns astrólogos dizem que o faz em conjunção com Marte. Em Plutão pode encontrar a expressão da Alquimia no seu lado mais obscuro, ou seja, a alquimia praticada não como virtuosa arte, mas sim como meio de enriquecimento: o uso das leis da natureza postas ao serviço da produção de ouro, seja a que preço for. Este é por isso um signo associado com Lúcifer, ou melhor: com o pacto que se pode estabelecer com Lúcifer para ter tudo aquilo que se deseja. Plutão quando equilibrado numa influencia astrológica, favorece comerciantes, empresários e todos aqueles que empreendem. No entanto, excessivamente carregado numa influencia astral, Plutão é o símbolo das energias que levam á febre pelo ouro, assim como á luxúria desregrada e incontrolável. Plutão está relacionado astrologicamente com o sistema hormonal de natureza sexual e a toda a actividade sexual, sendo que a influência astrológica de Plutão se faz sentir fortemente a nível dos instintos mais básicos. Plutão é por outro lado um símbolo da própria sedução, razão pela qual alguns já relacionaram este signo com o «tentador» ou o «sedutor»: Lúcifer. As pessoas sob domínio que Plutão, tem forte possibilidade de ter capacidades paranormais, ou um gosto pelas ciências ocultas, bem como notáveis qualidades psicológicas. Contudo, desvios de Plutão na sua influência astrológica sobre uma pessoa, podem levar a subsequentes desvios destas qualidades.

 
.... - .. ., .